A Necessidade da Educação Física na Escola

March 3, 2015

Autor: Rosângela Aparecida Mello

 

ISBN: 978-85-65999-24-3

 

Páginas: 204

 

1ª edição: Instituto Lukács, 2014

 

R$ 9,00 + Frete

 

Clique aqui para baixar este livro grátis em PDF

 

Orelha: A defesa da Educação Física escolar é feita, predominantemente, a partir de uma pressuposta dicotomia entre corpo e mente, objetividade e subjetividade, teoria e prática. Essa dicotomia, típica de diversos matizes do pensamento pós-moderno, tem seu fundamento no pensamento liberal clássico e nas concepções religiosas. Em última instância, renuncia à crítica dos fundamentos da ordem burguesa.A necessidade da Educação Física na escola polemiza com tais concepções. Abandonando o universo conservador-dicotômico, postula uma estratégia de defesa da Educação Física escolar a partir de sua necessidade histórica. Necessidades são construídas pelos homens e, portanto, são históricas e transitórias.Em uma sociedade de classes, as necessidades tendem a ser antagônicas. Logo, é necessário perguntar qual o projeto histórico que defendemos para o futuro. Nos termos teóricos e políticos do materialismo histórico fundado por Marx e Engels, a necessidade da Educação Física (como de qualquer outro complexo social) é a emancipação humana, ou seja, a superação radical da ordem do capital.Em poucas palavras: do conservador universo dicotômico corpo-mente para o emancipador universo das necessidades históricas. Esta é a alteração proposta, pela autora, para defesa revolucionária da Educação Física escolar.

Sergio Lessa.

 

Contra-capa:

 

Este livro polemiza com algumas das teses matriciais predominantes na área da educação física. Teses essas que postulam a prevalência estratégica da defesa da Educação Física escolar a partir da sua legitimidade nas instituições de ensino. O marco teórico hegemônico da área centra-se em diversos matizes do pensamento pós-moderno, que afirmam equivocadamente os pressupostos fundados na dicotomia entre corpo e mente, objetividade e subjetividade e teoria e prática. A consequência decisiva desse posicionamento é, em última instância, a renúncia explicita ou implícita à crítica aos fundamentos da ordem social do capital. Contrapondo-se a essas formulações teórico-práticas, o livro faz a defesa da Educação Física na escola por sua necessidade histórica. Necessidades históricas são construídas pelos homens em seu processo de desenvolvimento e, portanto, são necessidades transitórias. Em uma sociedade de classes as necessidades são, em regra, antagônicas. Logo, é necessário perguntar qual é o projeto histórico que objetivamos. Nos termos teóricos e políticos do materialismo histórico fundado por Karl Marx (1818-1883) e Friedrich Engels (1820-1895), que embasam as formulações postas no livro, trata-se de afirmar que a necessidade histórica da Educação Física ou de qualquer complexo social é a emancipação humana, ou seja, a superação radical da ordem social do capital.

 

Sumário:

 

Introdução


Capítulo 1 - A práxis legitimadora da educação física na escola
Capítulo 2 - A gênese ontológica da educação física
Capítulo 3 - A natureza da educação
Capítulo 4 - A gênese e o desenvolvimento da educação física moderna
Capítulo 5 - A educação física e a reestruturação produtiva contemporânea
Considerações finais
Bibliografia

Tags:

Please reload

Publicações

A Impossib...

1/50
Please reload

Cursos e conferências

I'm busy working on my blog posts. Watch this space!

Please reload

Postagens recentes
Please reload

Todas as postagens
Please reload

Siga-nos
  • Google+ Basic Square

Todas as informações deste site podem ser reproduzidas por qualquer veículo de comunicação,
desde que citada a fonte, mantida a integralidade do material e sem uso comercial.