Conversando com Lukács

April 2, 2015

 

Autor: Georg Lukács - Tradução de Giseh Vianna

 

ISBN: 978-85-65999-25-0.

 

Páginas: 196

 

1ª edição: Instituto Lukács, 2014


R$ 5,00 + Frete

Clique aqui para baixar este livro grátis em PDF

Orelha: O livro que o leitor tem em mãos teve sua primeira e única edição no Brasil em 1969; a antiga publicação é hoje uma raridade, mantendo-se, por isso, distante do acesso das novas gerações de leitores interessados em Lukács. A nova edição promovida pelo Instituto Lukács busca suprir essa lacuna. O que se coloca à disposição dos leitores é um livro de fértil conteúdo filosófico, e, ao mesmo tempo, um texto propedêutico à literatura do velho Lukács.

Conversando com Lukács, apesar de haver resultado de entrevistas concedidas por Lukács nos últimos anos de sua vida, não é um testamento político e filosófico, como Pensamento Vivido (Viçosa, Ad Hominem, 1999); tampouco é um registro biográfico da vida desse grande pensador. O que temos neste livro é uma rica apreciação a respeito de questões filosóficas, tais como ontologia, ciência, alienação, ética etc., e sobre problemáticas políticas e econômicas que ainda não foram superadas hoje, como os problemas relativos à consciência e à direção revolucionárias, à manipulação, ao tempo de trabalho, à revolução etc.

A abrangência dos temas tratados e a natureza fluida que toda entrevista possui podem erroneamente sugerir que Conversando com Lukács peca por superficialidade. Isso poderia ser verdade caso se tratasse de outros interlocutores e se as conversas não possuíssem um centro gravitacional que, além de conferir unidade às falas, é o fundamento que norteia toda a análise lukacsiana. Esse eixo é a concepção ontológica histórico-dialética, não metafísica e não teleológica esboçada por Lukács. Esta se encontrava, na época das entrevistas, 1966, plenamente madura no filósofo húngaro.

Neste livro Lukács responde a todas as perguntas que lhe são feitas a partir dos fundamentos ontológicos que elas próprias suscitam. Desse modo, não temos apenas uma visão de conjunto esboçada pelo pensador magiar sobre variados temas, como arte, ética, estética, revolução etc., mas também uma demonstração viva e ativa de como é possível articular questões conjunturais com seus pressupostos ontológicos.

Conversando com Lukács é, por isso, um livro organicamente estruturado, que alia o ritmo que possuem as entrevistas a uma fecunda reflexão filosófica.

 

Talvanes Eugênio.

 

Contra-capa:

 

Conversando com Lukács, publicado originalmente em 1967, corresponde a quatro entrevistas concedidas por Lukács, que cobrem um abrangente leque de temas: 1) questões filosóficas de fundo, que dizem respeito à ontologia e à ética; 2) questões relacionadas à superação do stalinismo e à construção de uma direção política autenticamente revolucionária; 3) questões relacionadas a problemas insuperáveis no capitalismo, como a manipulação e as diversas formas de alienação decorrentes da essência do capital. As entrevistas ocorrem no momento em que a reflexão ontológica já está madura em Lukács, o que pode ser percebido mesmo quando são abordados problemas relativos à vida cotidiana, sempre tratados aqui a partir de suas fundamentações ontológicas. Conversando com Lukács é, pois, uma reflexão baseada no acúmulo teórico de mais de seis décadas ao redor do que a humanidade de melhor produziu no campo da filosofia (dos gregos a Marx).

Conversando com Lukács marca o início da Coleção Fundamentos, uma nova linha de publicação do Instituto Lukács.

 

Sumário:

 

Nota Editorial

Ser e Consciência - Primeira Conversa

Sociedade e Indivíduo - Segunda Conversa

Elementos para uma Política Científica - Terceira Conversa

Balanço Provisório - Quarta Conversa

Índice Onomástico

Índice Remissivo

Tags:

Please reload

Publicações

A Impossib...

1/50
Please reload

Cursos e conferências

I'm busy working on my blog posts. Watch this space!

Please reload

Postagens recentes
Please reload

Todas as postagens
Please reload

Siga-nos
  • Google+ Basic Square

Todas as informações deste site podem ser reproduzidas por qualquer veículo de comunicação,
desde que citada a fonte, mantida a integralidade do material e sem uso comercial.